No mundo industrializado, cada vez mais casais encontram dificuldades em conceber naturalmente e procuram explicações médicas através de estudos precisos. Sem dúvida, diagnosticar a causa desta dificuldade é tarefa que compete à Medicina, sendo que podem existir muitos tipos de problemas estruturais a nível ginecológico, imunológico, urológico ou endócrino. No entanto, os critérios adoptados na avaliação do problema, não consideram todas as variáveis da saúde, no seu aspeto global ou, segundo a definição da OMS, como “um estado de completo bem-estar físico, mental, e social, e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”.

 

Muitas vezes encontramos casos de infertilidade “inexplicada” onde já foram excluídas as hipóteses de causas físicas evidentes, o que deixa os casais muito frustrados e desorientados. E é aqui onde podemos dar o nosso contributo: malnutrição, stress emocional, stress oxidativo e envelhecimento celular são certamente factores que podem contribuir a agravar problemas de fertilidade. Mas também a notável desconexão e desconhecimento do funcionamento do corpo, sobretudo o corpo feminino, é um obstáculo a não subestimar.

 

A Consulta Natural de Apoio à Fertilidade não pretende substituir-se aos tratamentos médicos que às vezes são necessários, mas sim facilitar ao máximo o processo da concepção de forma natural.

 

Estratégias utilizadas

 

  • Tabelas combinadas de temperaturas basais, muco cervical e posição do colo do útero. Este método, chamado Fertility Awareness Method (FAM), permite de forma simples e não invasiva, detectar eventuais problemas como anovulação, insuficiência luteinica, baixa progesterona, e abortos espontâneos de repetição que por vezes são confundidos com menstruações tardias. Ainda, este método permite otimizar o timing das relações, identificando com exatidão o momento da ovulação. Os kits de ovulação em comércio não oferecem a mesma precisão porque nao tomam em consideração a hipótese de existirem mini-picos de LH pré-ovulatórios, nem ovulações tardias. Ou seja, podem dar sinal verde quando ainda è cedo demais. As vantagens do FAM não terminam aqui: o ciclo menstrual é frequentemente anulado, durante anos, pelo uso generalizado dos contraceptivos orais. Muitas vezes, uma mulher adulta pode ter tido muito poucos períodos menstruais verdadeiros até o momento de tentar engravidar. Segundo o paradigma holístico, é impossível ignorar o peso da profunda desconexão com este aspeto tão fundamental e básico da sexualidade que é o normal funcionamento do corpo feminino. E é urgente promover o encontro (ou o reencontro) fluido e psicologicamente saudável com a feminilidade.

 

  • Fitoterapia direcionada para os problemas que emergirem pela história clínica e pelos resultados das tabelas de FAM. São construídas fórmulas individualizadas à base das plantas medicinais ocidentais que demonstraram ser eficazes e seguras, com base nas diretivas da ESCOP (European Scientific Cooperative on Phytoherapy), da AHG (American Herbalist Guild), e usos tradicionais de longa data. Naturalmente esta terapia apenas è indicada se nao houver contemporâneo uso de medicamentos convencionais que possam apresentar risco de interação com os fitoterapicos.

 

  • Acupunctura com base no diagnostico que emergir em termos de Medicina Tradicional Chinesa.

 

  • Aconselhamento nutricional. A alimentação é um aspeto fundamental do estilo de vida e pode ter uma influência direta ou indireta na fertilidade, considerado que:

. A exposição ambiental a toxinas de vária natureza (metais pesados, xenoestrogénios, e outros disruptores hormonais) é frequentemente ligada à dieta;

. Deficiências nutricionais específicas podem afetar a qualidade espermática e o ciclo menstrual;

. A sobrecarga constante dos órgãos digestivos e excretores, tem uma série de consequências nefastas sobre qualquer aspeto da saúde, incluída a saúde do aparelho reprodutor e do sistema endócrino.

 

O maior estudo sobre a relação entre fertilidade e alimentação (o Harvard Nurses’ Health Study) tem de facto comprovado que existem seis vezes mais probabilidades em conceber nos casais que seguem uma determinada dieta.

 

Especificamente, as mulheres que têm os menores problemas a nível de ovulação, são as que seguem uma dieta com baixo índice glicémico, pobre em proteínas animais e rica em proteínas vegetais, gorduras monoinsaturadas e hidratos de carbono complexos. Mas como implementar na prática estas diretrizes? A visão popular do conceito de “dieta saudável” está muito associada à ideia de sacrifício e de renúncia ao prazer do paladar.

 

Pretende-se educar os casais neste sentido, através de uma transmissão de informações teóricas sólidas e compreensíveis, acompanhando a mudança de hábitos de forma realística e gradual. Mas sobretudo dar soluções práticas que vão desmistificar preconceitos, demonstrando que uma dieta saudável pode e deve ser altamente prazerosa. Desta forma, será natural assumir hábitos alimentares saudáveis para o resto da vida, com grandes benefícios em todos os estádios vitais.

 

  • Nalguns casos concretos, poderá haver necessidades de suplementos alimentares ou bioterápicos, que no entanto nunca poderão substituir uma dieta e estilo de vida saudável.

 

  • A sinergia destas abordagens pode levar os casais a conceber naturalmente, ou até ajudar nos processos de reprodução assistida.

 

Naturopata

Antonella Vignati

 

Marcações:

Tel: 210 939 662

Mail: info@centrodobebe.pt

 

Peça mais informações

Responderemos dentro de alguns minutos. Caso não receba, por favor verifique a sua caixa de SPAM.